sábado, abril 16, 2011


Ler coisas antigas não é sem dúvida, uma grande opção a fazer. É sempre nesse momento onde a "cobra venenosa" chamada nostalgia ataca, deixando o seu veneno... a saudade. E eu não gosto de sentir saudade. Sentei-me e esperei que esta desaparesse-se ou que pelo menos atenuasse, porque afinal, não passo de uma grande escrava deste sentimento ingrato e angustiante.
Numa manhã seca e clara, sinto-me tranquila e anseio por ver as flores renascerem, sentir a água do mar fria a congelar-me os pés e o ar funebre da típica primavera. Hoje acho melhor entregar-me à sensibilidade e deixar de parte o mundo racional. Acordar, abrir a porta e sentir os raios de sol a iluminar-nos os traços da face, comer o pão fresco e o seu sabor combinado sentada nas escadas do pátio a vunebrar o ar fresco da manhã... são sensações incomparavelmente fantásticas e memoravéis. E, o resto, toda a saudade e afins, só ecoam aqui. Durante vários dias estive destítuida de emoção. Talves ainda me reste uma ponta de orgulho e , sim, sei que não há mais nada a pensar nem a fazer. Lembro-me, ainda, de cada palavra ofensiva... mas ainda tem prazo de validade pois sei que um dia, tudo isto deseparecerá por completo do meu estado psiquico e espero ansiosamente que isto para além de um objectivo se torne também um desejo. Até porque quando algo é insustentável, anseia-se a reviravolta... mas, ao mesmo tempo, receia-se igualmente. E ao dar conta disto, dou também conta da existência de uma massa nova e independente a habitar-me, que vivia apesar de mim e que, começando por assustar-me, passou de um dia para o outro a mandar na minha vida .



p,s: hoje acordei um bocadinho mais realista do que nos outros dias. Basicamente, entendi que não me devo iludir. Não devo porque senão serei eu a sair mal da história (como sempre). Mas de qualquer forma ainda tenho esperança, esperança que as coisas ressaltem dos escombros, não sejam só tempestade, e que tu, eterna visão do paraíso, possas aproximar-te para eu te abrigar.


Estou ansiosa por te ver... outra vez !







da tua bailarina,




17 comentários:

  1. gostei muito do texto mas ainda mais do PS *.*

    ResponderEliminar
  2. ohh querida obrigada :)

    Eu gosto bastante dos teus *

    ResponderEliminar
  3. Sentir saudades é bom...por muito que não gostemos, ´é bom sinal ;)

    O ps é qualquer coisinha *.*
    *

    ResponderEliminar
  4. obg fofinha :) adoro o texto, especialmente o ps!
    (musica, AMO)

    ResponderEliminar
  5. de nada :)
    pois, vais ver que se vai realizar, muita força *

    ResponderEliminar
  6. por acaso, no primeiro dia achei aquilo demasiado estranho. é diferente de todos os sites a que estou habituada. mas, eu sou uma pessoa que aprende depressa e já atino com aquilo. só custou mesmo entender a dinâmica do site. experimenta dedicar um tempinho ao teu tumblr e vais ver que depressa aprendes. ah, e deixa o teu link no meu blog, por favor. terei todo o gosto em visitar o teu! (:

    ResponderEliminar
  7. olá :)
    convido-a a visitar o meu blog de bijuteria/artesanato:

    www.atelierizzy.blogspot.com
    obrigada

    ResponderEliminar
  8. é o único que nos resta querida, esperar :x

    ResponderEliminar
  9. haja confiança! Gosto muito do "p.s" :)

    ResponderEliminar