domingo, junho 12, 2011

Porque? Porque é que temos de passar por isto tantas vezes? porque é que nos baseamos em entremeios de prodígio, entremeios de afeição, de benevolência para no final deles tudo voltar ao seu pior estado? a verdade é que quero mudança, uma mudança sólida e ela está a acontecer mesmo debaixo dos meus dedos dos pés. Contigo, após todo este tempo, aprendi que as promessas são pérfidas e enganosas, estudei-te e apercebi-me que tentas-te que o tempo passa-se por nós sem o vermos, e com isso fizeste-me esquecer a palavra 'promessa' proferida por ti à tempos atrás, e meu Deus... as vezes que tu a proferis-te! ; O amor tem aquele já clássico poder de cegar, de nos levar a achar que quanto menos vezes tocar-mos nas feridas melhor, mas quando caímos no real fechamos os olhos e tapamos os ouvidos e chegamos à conclusão que nunca se comete dois erros iguais pois a segunda vez resume-se a uma escolha e não a um simples erro.
Tenho saudade daquelas noites, noites já entituladas como de 'tradicionais', aquelas em que me acordavas de madrugada e verbalizavas o mais sorrateiramente possível as palavras mais débeis, as tais noites em que cantavas a tua música favorita numa tentativa de me embalar, onde a dedicação fervilhava e o amor percorria a madrugada e os nossos corações. Essas noites acabaram e no lugar delas veio as noites em que me recordo desses momentos, e se algum dia tiver dúvidas de que te esqueci, essas noites vão servir para me dar certezas.... certezas de que viverás para sempre dentro de mim.

9 comentários: