terça-feira, julho 17, 2012

porque eu estou onde sempre estive...


Tu...tu definitivamente te identificas com uma gaivota sem par, vais e vens, sempre solitário, e o mais interessante é que nunca vens para ficar. Se eu te pudesse desenhar, desenharia uma montanha russa, és como a instabilidade da vida, tanto voas como procuras sempre mais em cada beco, em cada canto das ruas padecidas e cinzentas. E eu? enquanto tu andas de canto em canto, eu estou onde sempre estive; espero ansiosamente que um dia esqueças que tens outros sítios a visitar e que me encontres, e assim, logo seguida, eu te consiga tocar na mão. É duro admitir, mas mesmo apesar de nunca vires para ficar, tu conheces-me melhor do que eu própria, sabes melhor os meus segredos do que eu. mas existe um que te anda a escapar, e continuará a escapar-te até ao dia que resolvas vir, resolvas ficar; só aí eu te irei sussurrar ao ouvido aquilo que fizeste de mim, a pessoa diferente que me tornei e o que destruíste! mas é bom que te apresses, porque um segredo não fica em segurança para sempre. sabes, tenho saudades tuas, saudades do que me davas a conhecer, do que um dia me ensinas-te; ensinaste-me essencialmente que o melhor truque para conhecer alguém, vai para além do que vemos, vai para além dos seus olhos e que é preciso abdicar um pouco de nós, dar de nós.
ouvi dizer que ela te faz feliz. mais feliz do eu estás decerteza, pois enquanto conseguiste ver uma luz ao fundo do tunel, ignorar o passado, riscar sob o papel velho e ainda assim reparar todos os danos...eu continuo aqui, onde sempre estive, como sempre estive. é tão engraçado como agora seja eu a precisar de ti. aposto que sentes uma ponta de saudade, pois eu não sou ela, nem quero ser. mas foi por mim que abdicaste de tudo, fui eu que te moldei, fui eu que te racionalizei durante o tempo todo que vivi por ti, racionalizei-te até mesmo quando estive sozinha. acho-me estupida, imatura; e tu? seu orgulhoso impertinente, porque não me calas-te quando eu disse que parecia e talvez seria eterno? parabéns, conseguiste o que querias, conseguiste o meu coração, o meu corpo e a minha alma. mas serás meu para sempre, e se soubeste como fugir, também saberás como me encontrar... porque eu sim, estou onde sempre estive!

da tua bailarina,


p,s: meu bailarinos, estive ausente durante um bom tempo, mas prometo ficar atenta a todas as vossas mensagens de carinho, das quais aproveito para agradecer! aproveito também para vos pôr a par do meu tumblr: http://cmsince1995.tumblr.com/ e peço para me darem a vossa opinião. Estejam atentos, vêm aí muitas novidades. um beijo, bailarina

12 comentários:

  1. Obrigado, mas sabes, é um pouco difícil fazer isso, visto que tenho muitos complexos com aquilo que sou.

    ResponderEliminar
  2. eu gasto tudo com a pessoa que mais vale a pena neste mundo querida, obrigada <3

    ResponderEliminar
  3. como eu gostei deste textos, adorei a maneira como escreves*

    ResponderEliminar
  4. Aii, escreves muito bem :$
    Sei o que é estar desse lado assim. Um dia ou ele volta, ou vais conseguir seguir em frente.
    Ainda existem feridas que o tempo cure. Depende de cada um.
    Acredito que um dia vais sarar todos os teus golpes e ser feliz!

    ResponderEliminar